sexta-feira, 4 de maio de 2018

Relato do encontro de primavera, com André Mendes, sobre o masculino e o contemporâneo

Ritual de passagem de uma tribo da Papua Nova Guiné (Foto: Timothy Allen)

Por Vanessa Heidemann



No dia 24 de abril de 2018, o Núcleo Granja Viana – SP da Fundação Joseph Campbell promoveu o primeiro encontro do ano.

Durante 2017, o grupo se dedicou aos estudos voltados ao sagrado feminino, utilizando como base a obra Deusas: Os Mistérios do Sagrado Feminino, de Joseph Campbell (Editora Palas Atenas, 2015). Em 2018, os encontros possuem como proposta promover reflexões em torno do masculino, sobretudo diálogos relacionados à sua presença e representações na atualidade.

A masculinidade no contemporâneo foi o tema proposto para o primeiro encontro, que contou com a fala do psicólogo André Mendes. André estudou durante o mestrado a relação da individuação e a sociedade, e também desenvolveu estudos relacionados às questões de grupos com profissionais do sexo (travestis). A partir do texto O Sistema de valores do grupo local (CAMPBELL, 2013, p. 82-104) e do pensamento do pai da psicologia analítica, Gustav Carl Jung (1875-1961), o convidado apontou a dificuldade de se discutir o tema. Primeiramente, André levanta a questão do que podemos compreender como sendo o masculino, e segundo, o que compreendemos como contemporâneo.

Para o psicólogo, a partir da perspectiva de Campbell, podemos compreender que o masculino é uma construção cultural, ou seja, uma construção inserida em um contexto específico (tempo-espaço). Já em relação ao contemporâneo, o palestrante afirma que a dificuldade em defini-lo está no fato de que nós mesmos estamos inseridos nele, o que influencia a nossa compreensão acerca dos fenômenos ao nosso redor. 

Apesar da complexidade, o convidado afirma que esta é uma temática importante e emergente, pois é frequente em seu consultório homens e mulheres questionarem seus papéis na sociedade, suas identidades de gênero, sua orientação sexual e como exercer o feminino e o masculino no cotidiano. O homem perante as transformações sociais tem questionado qual o seu papel na sociedade e como exercer uma masculinidade que não é mais dada por meio de ritos de passagens.

Utilizando o pensamento do filósofo alemão Friedrich Nietzsche (1844-1900), André problematiza: “Nós podemos estabelecer um conceito para uma série de fenômenos?”, “Podemos chegar a uma definição única do que é o masculino?”. Nietzsche defendia que os conceitos fechados são falsos, pois estes se transformam no decorrer do tempo, portanto para definir conceitos o ser humano deveria utilizar uma linguagem poética, metafórica. Um conceito metafórico ao invés de fechar/limitar serviria para expandir a compreensão acerca dos fenômenos.

Surgem então alguns novos questionamentos: “O que a nossa cultura faz com o masculino?”, “Temos rituais que possibilitam uma construção do masculino?”, e ainda, “Nossa cultura possui rituais?”. O palestrante afirma que apesar de aparentemente em desuso, o ritual é uma experiência importante para os seres humanos e permanece presentes em nosso cotidiano, mesmo que de forma discreta. Seja em um ritual particular de preparar uma sala para estudar, uma formatura ou o réveillon. Os rituais de âmbito coletivo, como as formaturas, são capazes de gerar uma transformação psíquica. André, que também é docente, relata que alunos dos cursos de graduação se sentem muitas vezes inseguros em relação às suas futuras vidas profissionais. Ocorrem casos de alunos que repetem uma disciplina propositalmente por não se sentirem capazes. Entretanto, após vestirem as indumentárias (beca e chapéu) para o ritual de formatura e receberem um canudo (muitas vezes vazio), saem transformados, pois a formatura enquanto ritual é capaz de canalizar a energia psíquica da pessoa, promovendo uma transformação.


Muitas vezes os rituais de passagem não são agradáveis, como as primeiras relações sexuais que os garotos eram obrigados a passar por influência e interferência do pai, tios, primos mais velhos e assim por diante. Na atualidade, entretanto, os papéis do masculino não estão demarcados e dados pela sociedade, não são tão rígidos como antes. Como o psicólogo afirma: “O indivíduo precisa elaborar isso, pois não está dado pelo coletivo”.

Para André, apesar de haver uma busca para expressar as questões do masculino e feminino em homens e mulheres na atualidade, a nossa sociedade não facilita esse processo.

O que a nossa cultura faz com o masculino?
Aberto o debate para os presentes, surgiram questões relacionadas a gênero, transexualidade, a problemática (ou não) de usar banheiro unissex, a grande demanda de casos em consultórios dos psicólogos presentes no encontro e as dificuldades em lidar com tantas possibilidades que a sociedade contemporânea permite relacionadas ao tema.

Ficou constatado entre os presentes que estudos sobre o masculino são pouco divulgados e/ou inexistentes, e que se nos afastarmos do machismo compreenderemos que tanto o masculino quanto o feminino exercem, na visão de Mendes, funções enquanto potência. Ambos se complementam, seja em uma complementaridade exterior (social), seja em uma complementaridade do indivíduo em seu processo de individuação.  Um assunto, sem dúvida, que seguirá palpitante no próximo encontro, a ser realizado em agosto do segundo semestre, em data a ser definida em breve.





quarta-feira, 4 de abril de 2018

28/4/2018: Encontro de Outono da Granja Viana-SP Brazil JCF Mythological RoundTable®



É com satisfação que convido para nosso primeiro encontro de 2018, que será realizado no sábado 28/4, a partir das 14h. 

We are pleased to invite you to join our Spring JCF Mythological RoundTable®, which will be held on April 28th, 2018, at 2pm. 

No ano passado estudarmos a questão do feminino na atualidade, por meio da obra Deusas: o mistério do divino feminino (Editora Palas Athena).  Em 2018, daremos prosseguimento e nos dedicaremos ao estudo da questão da masculinidade na contemporaneidade.

In 2017 we are focused on women studies via the latest Joseph Campbell´s book translated to Portuguese in Brazil: Goddesses: mysteries of the divine feminine (Palas Athena Publisher). For 2018, we continue gender discussions towards the masculinity issue in the contemporaneity.

O palestrante será o psicólogo André Mendes. Graduado em Psicologia pela Universidade de São Paulo (2002), ele tem mestrado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano pela mesma instituição (2005). Como professor, atuou no Centro Universitário São Camilo, lecionando disciplinas como Jung e a Psicologia Analítica, bem como Mitologia Junguiana do Cuidador e Psicologia da Religião.


The keynote speaker will be the psychologist André Mendes. He holds a MA in Human Development Psychology (University of Sao Paulo) and is an specialist in Analytical Psychology. Mendes is a former lecturer at the Centro Universitário São Camilo, where he has conducted the courses “Jung and the Analitical Psychology, as well the Mythology of the Care holder and Psychology of Religion.

Clique aqui para ler o texto recomendado para leitura prévia ao encontro, do livro de Joseph Campbell Máscaras de Deus: mitologia primitiva (Palas Athena, 2010).

Click here to go to the reading suggested for the meeting (Campbell, J. Masks of God: primitive mythology: Palas Athena, 2010).

O evento é gratuito, mas solicitamos a doação de um quilo de alimento não perecível por participante para o espaço paroquial. 

The event is free of charge, but we request the donation of one kilo of non-perishable food per participant to the parish.

Leve também frutas, doces, salgados ou sucos para compartilhar no lanche comunitário de encerramento, realizado às 16h30. 

Also be welcome to bring fruits and other healthy food or juices to share in the community closing gathering, held at 4:30 p.m.


Relembrando o local: Igreja Santo Antonio (Rua Santo Antonio, 486 (km 24 da Rodovia Raposo Tavares, sentido São Paulo›Cotia). Acesso pela Rua José Félix de Oliveira (Entrada pela secretaria localizada na lateral da igreja, em frente ao Banco Bradesco). Para ver no Google Maps, clique aqui

Venue: Santo Antonio Parish (Rua Santo Antonio, 486 (km 24 of the Raposo Tavares Highway, direction São Paulo> Cotia) Access by José Félix de Oliveira Street (Entrance by the office located on the side of the church, in front of Banco Bradesco). 

Abraços/Best


Monica Martinez
Coordenadora da JCF Mythological Roundtable® Granja Viana-SP (Brasil)*



segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Feliz Natal e Próspero Ano Novo/Merry Christmas and a Happy New Hear




É com alegria que realizamos este ano os nossos quatro encontros anuais, debatendo o livro "Deusas, os mistérios do divino feminino", de Joseph Campbell.

Em 1o. de abril tivemos a oportunidade de ouvir Leda Maria Pirillo Seixas, professora do curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde (PUC-SP), que nos lembrou que abordar as noções de masculino e feminino em nossa sociedade continua sendo tarefa complexa.  Clique ali para ler o texto

Em 17 de junho, conhecemos o trabalho sobre patriarcado, matriarcado e alteridade da psiterapeuta Ana Maria Galrão Rios (PUC-SP), que nos encantou com seus estudos sobre o feminino por meio da representação da imagem divina nos desenhos infantis. Clique aqui para ler o texto. 

Em 19 de agosto de 2017, aprendemos com Maria Cristina Mariante Guarnieri (Ijep) que as imagens arquetípicas podem ser compreendidas como retalhos de uma mesma colcha, a do inconsciente coletivo, e que os mitos são as bases de nossa estrutura psíquica.  Clique aqui para ler o texto. 


Finalmente, em 25 de outubro, ouvimos Robert Walter, presidente da Fundação Joseph Campbell, dos Estados Unidos, que nos fez entender melhor o trabalho das roundtables no contexto da JCF. "Como os cavaleiros da távola redonda, vamos em direção aos desafios cotidianos e é bom ter um local para retornarmos e contarmos nossas aventuras", disse ele, referindo-se à importância da rede de roundtables à que a da Granja Viana está conectada. Clique aqui para ler o texto


Depois de um ano tão rico, chega o momento agora de pararmos para celebrar uma das mais importantes tradições do mundo cristão, o Natal, ou das festas de final de ano para quem não segue esta tradição, e, assim, recarregar as baterias para 2018. 

Que ele seja de muita bliss e bless para todos!

Com um abraço forte e até 2018!


Monica Martinez
Coordenadora da JCF Mythological Roundtable® Núcleo da Granja Viana-SP (Brasil)*
http://fundacaojosephcampbell.blogspot.com
https://www.facebook.com/groups/177343475613567

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Relato do encontro especial de primavera de 2017, com Robert Walter





Pondo-se no encalço da sua bem aventurança, você se coloca numa espécie de trilha que esteve aí o tempo todo, à sua espera, e a vida que você tem que viver é essa mesma que você está vivendo. Quando consegue ver isso, você começa a encontrar pessoas que estão no campo da sua bem aventurança, e elas abrem as portas para você. Eu costumo dizer: Persiga a sua bem-aventurança e não tenha medo, que as portas se abrirão, lá onde você não sabia que havia portas.” Joseph Campbell



O quarto encontro do Núcleo Granja Viana da Fundação Joseph Campbell contou, pela primeira vez, com a participação de Robert Walter, presidente da Fundação Joseph Campbell. A JCF foi fundada em 1990, em parceria com a viúva de Campbell, Jean Erdman, com o objetivo de preservar e divulgar os trabalhos do mitólogo estadunidense.
Os encontros costumam acontecer aos sábados na Igreja Santo Antônio em Cotia-SP, porém esse se realizou em uma data especial: a quarta feira, dia 25 de outubro, às 19 horas, por conta da disponibilidade de agenda de Walter.
Há quase 40 anos envolvido com a Fundação Joseph Campbell, Walter arranjou espaço em sua concorrida agenda no país para compartilhar com os presentes sua experiência como presidente da Fundação, assim como suas vivências ao lado de um dos maiores mitólogos do século XX.
A Fundação possui como proposta manter a visão mítica de Campbell viva por meio de publicações de livros, obras digitais, aulas em áudio e várias outras produções em vídeos. Por meio de uma comunidade global de artistas, acadêmicos, escritores e especialistas, a JCF organiza conferências e workshops em várias instituições. Atualmente conta com mais de 50 grupos de estudo em todo mundo vinculados ao Foundation’s Mythological RoundTable® Program, do qual o Núcleo Granja Viana é integrante como uma mesa redonda certificada.
Sobre os grupos espalhados pelo mundo, Robert compartilha que foi um longo processo de adaptação, com uma série de desafios. Ele aponta que ter acesso a esses grupos locais foi importante, pois cada grupo possui suas especificidades míticas, bem como suas peculiariedades. Para gerenciar esses grupos ele buscou usar como modelo as mesas redondas medievais, onde os cavaleiros conversavam, saiam para suas aventuras e retornavam para compartilhá-las. A partir dessa concepção, foi em 1995/1996 que o Programa das Roundtable se iniciou, juntamente com o website.
Segundo o presidente da Fundação, foi perceptível, inicialmente, que as Roundtable eram muito dinâmicas em nível local, mas que não havia muito a ser compartilhado com as outras Roundtables, mesmo as do mesmo país. Ainda assim, a intenção da Fundação nunca foi a de ditar qualquer regra que pudesse transformar as Roundtables em instituições com dogmas ou regras fechadas. A única recomendação feita a esses grupos foi a de que houvesse ao menos quatro encontros anuais, e que a data dos encontros e os conteúdos debatidos fossem disponibilizados no website oficial da Fundação para que outras pessoas pudessem acessá-los.  
Atualmente há oito Roundtables brasileiras, contudo parte da vinda de Walter foi dedicada a verificar, dentre os grupos existentes, quais estão ativos de fato. Em âmbito global seriam 71 Roundtables, porém ele explica que há muitos grupos não se vinculam à Fundação ou não divulgam os encontros.
Apesar de algumas dificuldades, atualmente a Fundação possui livros de Campbell publicados em 27 idiomas. O Brasil é o país com mais obras publicadas do mitólogo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. Apesar do segundo lugar, Walter ressalta que existem muitos problemas em relação às edições, sobretudo quanto às traduções. Isso porque nem todas as editoras fazem como a Palas Athena e a Summus, respeitando os acordos feitos e providenciando traduções de qualidade.
A Fundação divulga e disponibiliza todo o material produzido por meio de suportes online como o Spotfy, Youtube e iTunes, possuindo ainda a página no Facebook  Joseph Campbell Foundation (https://www.facebook.com/JosephCampbellFoundation/) com mais de 230 mil seguidores e um grupo público, o Joseph Campbell Foundation Mytic Salon (https://www.facebook.com/groups/josephcampbell/) com mais de dez mil membros que fomentam diálogos constantes sobre os mitos e o pensamento de Campbell.
Robert se recorda que, quando o livro Herói de Mil Faces foi lançado em 1948 nos Estados Unidos, teve grande repercussão. Contudo, quando ele começou a trabalhar como editor de Campbell, há 40 anos, ninguém se interessava muito pelo trabalho desenvolvido pelo mitólogo. Contudo, quando George Lucas descobriu o Herói de Mil Faces e empregou a estrutura narrativa mítica para conceber o primeiro filme da série a Star Wars, lançada em 1977, o livro de Joseph Campbell foi catapultado à lista de mais vendidos do The New Yort Times. Hoje é considerado uma das cem obras mais influentes do mundo.
Tanto que, ao se assistir ao filme Batman x Super-homem é possível vizualizar na capa do super-herói a frase escrita em kryptoniano: “O Herói de Mil Faces”. Outra personagem que carrega o pensamento de Campbell é a Mulher Mravilha, que tem em sua espada uma frase do livro Deusas: Os Mistérios do Divino Feminino: “A vida está matando o tempo todo, então a deusa se mata em sacrifício aos próprios animais” (“Life is killing all the time and so the goddess kills herself in the sacrifice of her own animal”).
Para Walter, é uma grande benção ver essa repercussão a partir da obra de alguém que nunca teve interesse em fama ou dinheiro: “Campbell viveu sua vida toda em um pequeno apartamento, possuindo como único foco seu trabalho”. Ele cita o próprio Campbell: “Se você seguir sua bem aventurança as portas se abrirão para você”. Ainda assim, Walter lamenta que essa transformação tenha acontecido apenas após o falecimento do mitólogo.
Para Walter, o trabalho de Campbell tem se mostrado terreno fértil, pois pessoas ao redor do mundo se encontram para conversar sobre os temas desenvolvidos por ele. Suas ideias e seu trabalho dão suporte para a vida das pessoas e, para ele, esse é um presente extraordinário. “Eu mesmoacordo todas as manhãs sentindo-me muito abençoado pelo fato de as ideias de Campbell estarem presentes na cultura”.
O convidado chama a atenção para que em muitos lugares do mundo as pessoas já não estão mais conectadas com tradições religiosas. Por isso, segundo ele, precisamos sair pelo mundo vivendo nossas aventuras, mas é bom ter um lugar para retornarmos e contarmos nossas experiências. A ideia das Roundtables, portanto, é a de que cada indivíduo vá para a sua aventura, para a sua vida, e retorne depois de algum tempo, para que os integrantes possam, em conjunto, aprender uns com os outros. E assim possam transformar para melhor a comunidade ao seu redor.

Texto: Vanessa Heidemann











sexta-feira, 22 de setembro de 2017

25/10/2017: Encontro de Primavera com Bob Walter, presidente da Joseph Campbell Foundation



É com uma tremenda satisfação que convido para nosso quartoencontro de 2017, que será realizado na quarta-feira, 25/10, a partir das 19h. 

We are pleased to invite you to join our Spring Roundtable, which will be held on October 25, 2017, at 7pm. 

Nesta data, teremos o privilégio de receber o presidente da Fundação Joseph Campbell, Robert Walter. Em 1990, Walter fundou esta organização com Jean Erdman, viúva de Joseph Campbell. 

On this date, we will have the privilege of receiving Joseph Campbell Foundation President, Robert Walter. In 1990, Walter founded this organization with Jean Erdman, Joseph Campbell´s widow.

O evento é gratuito, mas solicitamos a doação de um quilo de alimento não perecível por participante para o espaço paroquial. 

The event is free of charge, but we request the donation of one kilo of non-perishable food per participant to the parish.

Leve também frutas, doces, salgados ou sucos para compartilhar no lanche comunitário de encerramento, realizado às 21h. 

Also be welcome to bring fruits and other healthy food or juices to share in the community closing gathering, held at 21 p.m.


Relembrando o local: Igreja Santo Antonio (Rua Santo Antonio, 486 (km 24 da Rodovia Raposo Tavares, sentido São Paulo›Cotia). Acesso pela Rua José Félix de Oliveira (Entrada pela secretaria localizada na lateral da igreja, em frente ao Banco Bradesco). Para ver no Google Maps, clique aqui

Venue: Santo Antonio Parish (Rua Santo Antonio, 486 (km 24 of the Raposo Tavares Highway, direction São Paulo> Cotia) Access by José Félix de Oliveira Street (Entrance by the office located on the side of the church, in front of Banco Bradesco). 

Abraços/Best

Monica Martinez
Coordenadora da JCF Mythological Roundtable® Granja Viana-SP (Brasil)*

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Relato do Encontro de Inverno de 2017: Deusas e deuses do panteão grego


“O deus que escolhemos reverenciar como deidade primária representa a escolha dos poderes que serão a base na nossa vida. Escolhemos um ou outro aspecto de nosso viver como possibilidade que representaremos dentro da realidade” (CAMPBELL, 2015, p.188).


No dia 19 de agosto de 2017 foi realizado o Encontro de Inverno do Núcleo Granja Viana-SP da Fundação Joseph Campbell. Também conhecido como Granja Viana-SP Roundtable®, a mesa redonda tem como proposta para este ano debater o mais recente livro lançado em português no Brasil do mitólogo estadunidense Joseph Campbell (1904- 1987): Deusas: o mistério do divino feminino (Editora Palas Athena).  

Costurando os retalhos do saber por meio da Mitologia, Filosofia e Psicologia Analítica, a palestrante convidada, Profa. Dra. Maria Cristina Mariante Guarnieri, guiou os participantes em uma jornada pelo conhecimento, abordando e ampliando as narrativas do capítulo 5: Deusas e deuses do panteão grego e do capítulo 6: Ilíada e Odisseia: o retorno à deusa.

Inicialmente Maria Cristina afirmou: “O panteão grego é o reflexo de nossa estrutura enquanto humanos, é como nossa psique se estrutura”. Assim, os arquétipos (deuses) adotados pelo indivíduo e/ou sociedade apontam para a estrutura da psique daquele que o adota. Os mitos são, como diz Campbell, como um sonho, só que um sonho coletivo, sonhado pela humanidade, que tem reflexos em cada indivíduo.

A professora relata que as imagens arquetípicas podem ser compreendidas como retalhos de uma mesma colcha, a do inconsciente coletivo. O que faz que o indivíduo haja desse ou daquele jeito. No fundo, a questão é: que deuses me movem? Qual é o sentido da minha existência? Segundo ela, a narrativa mítica responde a essas questões organizando e explicando o poder da Natureza, incluindo-se nela o próprio ser humano.

Deusa Ártemis
No capítulo 5: Deusas e deuses do panteão grego, Guarnieri destacou a seguinte passagem: “Originalmente a própria Ártemis era um cervo, e ela é a deusa que caça cervos. Os dois são aspectos duais do mesmo ser. A vida mata a vida o tempo todo, e também a deusa mata a si mesma no sacrifício de seu animal. Cada vida é sua própria morte, e aquele que nos mata é de algum modo o mensageiro do destino que era seu desde o início (CAMPBELL, 2015, p. 149)”. Sobre essa questão, a professora ressaltou que, assim como Ártemis, exercemos duplo papel: “Na nossa cultura somos produtos dessa grande mente (inconsciente coletivo), onde formamos e somos formados”. Somos ao mesmo tempo produto e ação na existência. Na percepção de que há mistério na ação, também há a percepção de que todo ato é sagrado: “Quando esquecemos que somos mortais, tendemos a fazer muitas bobagens”, disse, lembrando que, dentro da percepção das narrativas míticas, sempre há responsabilidade pelas escolhas feitas, já que elas afetam tanto a si como o outro. Trata-se, portanto, da tão desejada e necessária perspectiva da alteridade.  

Em relação ao capítulo 6: Ilíada e Odisseia: o retorno à deusa, a professora chamou atenção principalmente para a figura de Penélope que, acreditando no retorno de Odisseu, tecia durante o dia uma trama que desfazia durante a noite. Tal ato serviria para ludibriar pretendentes que haviam dado Odisseu como morto e desejavam desposá-la. Acreditando que seu esposo retornaria, ela prometia que se casaria novamente assim que concluísse sua tecelagem.

De seu lado, Odisseu passou por uma serie de provações até retornar a sua esposa Penélope, já agora um homem transformado pelos desafios não somente da guerra, mas também do amor. Em outras palavras, com prontidão para se comprometer finalmente com um relacionamento formado por pares iguais. De acordo com a professora, a questão de tecelagem é recorrente nas narrativas míticas e representa o construir e desconstruir inerentes à vida.

Sobre as narrativas, Guarnieri apontou que o ocidente é um paradoxo entre Atenas e Jerusalém, ou seja, entre as narrativas grega e judaico-cristã. E que ainda há uma busca em relação à alteridade, que pode ser observada nos polos de opostos comoObjetivo/Subjetivo, Apolo/Ártemis, Afrodite/Eros.

A relação entre o masculino e feminino, abordada tanto na palestra da professora, quanto nos capítulos desenvolvidos na obra de Campbell, incitou debate entre os presentes, que levou ao aprofundamento dos conceitos junguianos de anima e animus, originários da psicologia analítica desenvolvida por C.G. Jung (1875-1961). Anima seria a parte feminina inconsciente que o homem possui e animus a parte masculina inconsciente que a mulher possui. Portanto, todo homem possui uma parte feminina e toda mulher possui uma parte masculina em sua psique, como o clássico símbolo do yin e do yang chinês.

Representação de Anima e Animus
No contexto junguiano, anima pode ser compreendida como sendo a alma, aquilo que move. Já animus seria o espírito, o que dá a direção à vida. Um está intrinsecamente relacionado ao outro e depende do outro. Assim, quando há o desequilíbrio do animus (na mulher), ela pode manifestar certa postura “de general”, de rigidez”, explicou Guarnieri. Por seu lado, o homem com alteração de anima pode ficar “animoso”, isto é, irritadiço, inquieto.

Foi assim que o sábado, um dia chuvoso de inverno paulistano, foi aquecido e avivado graças à vasta troca de experiências e conhecimentos entre a palestrante e os participantes, proporcionando a cada presente material para tecer uma nova parte da colcha de retalhos que constitui a vida humana.

Texto: Vanessa Heidemann

Referências

CAMPBELL, J. Deusas: os mistérios do divino feminino. São Paulo: Palas Athena, 2015.




domingo, 9 de julho de 2017

19/8/2017: Encontro de Inverno da Granja Viana-SP Brazil JCF Mythological RoundTable®


Detalhe de O Nascimento de Vênus, de Sandro Botticelli (1444-1510)


É com satisfação que convido para nosso terceiro encontro de 2017, que será realizado no sábado 19/8, a partir das 14h. 

We are pleased to invite you to join our Winter Roundtable, which will be held on August 19, 2017, at 2pm. 

Dedicaremos este ano ao estudo do mais recente livro de Joseph Campbell lançado em português no Brasil: Deusas: o mistério do divino feminino (Editora Palas Athena).  

In 2017 we are working on the latest Joseph Campbell´s book translated to Portuguese in Brazil: Goddesses: mysteries of the divine feminine (Palas Athena Publisher).

A palestrante será a psicóloga Maria Cristina Mariante Guarnieri. Doutora e Mestre em Ciências da Religião pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), ela é especialista em Psicologia Junguiana, atuando como docente do Instituto Junguiano de Ensino e Pesquisa (IJEP). 

The keynote speaker will be the psychologist Maria Cristina Mariante Guarnieri. She holds a PhD in Science of Religion (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo) and is an specialist in Analytical Psychology. Guarnieri is a lecturer at the Instituto Junguiano de Ensino e Pesquisa (IJEP).

Na oportunidade, trabalharemos o capítulo 5 (Deusas e deuses do panteão grego) e o capítulo 6 (Ilíada e Odisseia: o retorno à deusa) (páginas 137 a 214). 

She was invited to present her vision on the Chapter 5 (Goddesses and gods of the Greek pantheon) and Chapter 6 (Iliad and Odyssey: the return to the goddess) (pages 137 to 214).

O evento é gratuito, mas solicitamos a doação de um quilo de alimento não perecível por participante para o espaço paroquial. 

The event is free of charge, but we request the donation of one kilo of non-perishable food per participant to the parish.

Leve também frutas, doces, salgados ou sucos para compartilhar no lanche comunitário de encerramento, realizado às 16h30. 

Also be welcome to bring fruits and other healthy food or juices to share in the community closing gathering, held at 4:30 p.m.


Relembrando o local: Igreja Santo Antonio (Rua Santo Antonio, 486 (km 24 da Rodovia Raposo Tavares, sentido São Paulo›Cotia). Acesso pela Rua José Félix de Oliveira (Entrada pela secretaria localizada na lateral da igreja, em frente ao Banco Bradesco). Para ver no Google Maps, clique aqui

Venue: Santo Antonio Parish (Rua Santo Antonio, 486 (km 24 of the Raposo Tavares Highway, direction São Paulo> Cotia) Access by José Félix de Oliveira Street (Entrance by the office located on the side of the church, in front of Banco Bradesco). 

Abraços/Best

Monica Martinez
Coordenadora da JCF Mythological Roundtable® Granja Viana-SP (Brasil)*