quinta-feira, 25 de junho de 2009

Jornada do Herói e o Jornalismo


“A imprensa precisa trabalhar melhor esse procedimento natural de contar histórias, pois isso satisfaz a necessidade (inconsciente, até) do leitor de acompanhar as notícias do mundo de um modo esteticamente eficiente, psicologicamente compatível com sua condição receptiva inata. Desde que esse princípio seja compreendido e assimilado, o contar histórias pode estar presente, em alguma medida, até mesmo no dia-a-dia. E dos recursos à disposição dessa abordagem, elementos da Jornada do Herói podem ajudar a iluminar a narrativa do dia-a-dia que se organiza em torno de personagens de carne e osso. Qual é a natureza do desafio que enfrenta um herói em sua jornada? Quando um repórter de esporte compreende esse padrão, pode muito bem aproveitá-lo para escrever com maior sabor narrativo e maior profundidade de compreensão o que ocorreu de fato com o herói do time que venceu o campeonato de futebol sob circunstâncias dramáticas. E assim por diante em todas as áreas de cobertura especializada, das editorias de cidades à de política, da economia à de tecnologia, do comportamento ao meio ambiente”.


Edvaldo Pereira Lima é o introdutor do uso da estrutura narrativa mítica no jornalismo brasileiro no final dos anos 1990. A íntegra dessa entrevista está disponível em http://jornalirismo.terra.com.br/jornalismo/14/667-edvaldo-pereira-lima-piloto-da-aviacao-jornada-mitica-do-heroi

Nenhum comentário:

Postar um comentário